GUIMARÃES | Exposição: Design do Produto a Norte

flyer

Primeiro as boas notícias: a entrada é gratuita, o edifício do Instituto do Design de Guimarães é um dos edifícios mais cool da cidade, e serve perfeitamente como desculpa para tomar café no vizinho Bar da Ramada.

As más notícias – pelo menos para quem como eu esperava sentir um ‘wow mas-que-íncrivel!’ – alguns produtos expostos não são de todo novidade para os mais atentos à atualidade, e a exposição é bastante pequena para o expectado com todo o marketing envolvido.

Decidi ir à exposição enquanto conduzia para o escritório e seguia atrás de um TUG (autocarro da cadeia Transportes Urbanos de Guimarães) onde a pubilicidade gritava para ser vista. Verde e cobrindo toda a traseira do autocarro. Lembro-me de registar as datas na memória e o slogan para investigar na web. Assim o fiz, mal pousei a ponta da sandália dentro do escritório.

De meia dúzia de janelas abertas no browser e com café na secretária, concluí para mim e com os botões que me quiseram ouvir que uma exposição que pretende sensibilizar a utilização de tecnologia e materiais inovadores em produtos de uso primário, de forma ecologicamente consciente, através do trabalho de designers da Universidade do Minho e de marcas bem portuguesas e nortenhas, é uma exposição que merece ser vista. Ficou decidido. Se o sol se mantivesse, ia convencer o Pi a caminhar pela cidade no feriado de 5 de Outubro e a ir lá um saltinho – assim como quem não quer a coisa.

Na visita à exposição encontrei aquilo que realmente é descrito no site do Instituto de Design de Guimarães.

“Áreas de aplicação muito distintas e que, entre outras, abrangem: mobiliário; iluminação; peças sanitárias; torneiras; objetos de decoração; botijas de gás e vitrinas de refrigeração comercial.”

As peças que mais me agradaram pela forma foram as peças de mobiliário. As peças que mais me desiludiram, apenas porque tecnologicamente não são já uma novidade pelo menos para mim, foram as botijas de gás e vitrinas de refrigeração comercial. As peças que mais me surpreendaram foram as peças sanitárias.

Picture1.png

Vale a pena ir, se calhar não com expetativas muito altas como as minhas, mas vale a pena ir. Em exposição até dia 10 deste mês.

 

Imagem promocional da exposição: site do Instituto de Design de Guimarães.

Imagens da exposição: imagens de própria autoria.

SATURDAY NIGHT | John Legend

legend-dl-tour.jpg

John, last night was… wait for it… LEGENDary!

Que me perdoem a facilidade da construção da piada, do cliché máximo de juntar o nome do músico com uma das mais míticas expressões para uma geração que se tornou adulta a assitir a episódios de How I Met Your Mother, mas ele entrou pelo Meo Arena todo confiançudo, atuou durante aproximadamente duas horas, e deixou-nos assim: com pele de galinha. Cada um deles. Pelos. Levantados.

Acordar hoje, na capital, é acordar de coração cheio. E eu gosto de corações cheios. De boa música. De boa conversa de espetáculo. De memórias boas. De ontem.

Como é que esta incrível sensação ainda melhora? Arrastei dois amigos para o concerto não propriamente admiradores do tipo de trabalho que o músico produz e eles gostaram tanto que agora eu sou um máximo e até direito a dancinha de festejo tenho enquanto me pagam o pequeno-almoço! OH YEAH!

John, last night was… wait for it… LEGENDary!

Forgive me for the maximum cliché of joining the musician’s name with one of the most mythical expressions for a generation that became adult to watch episodes of How I Met Your Mother, but he entered through the Meo Arena with extreme self-confidence attitude, he acted during almost two hours, and left us like this: with chicken’ skin. Each one of them. Body hairs. Lifted.

Waking up today, in the capital, is to wake up with a full heart. And I like full hearts. Full of good music. Full of good talk. Full of good memories. Full of yesterday.

How does this incredible sensation still get better? I dragged two friends to the concert not exactly admirers of the kind of work that the musician produces and they liked it so much that now I’m incredible and I can, for a right, do a stupid winning dance while they pay my super breakfast! OH YEAH!